Sabe aqueles “saiba mais”, “teste já”, “compre agora”? Eles são chamados de calls to action, CTA, ou, numa tradução muito direta, “chamadas para ação”.

E já vou falar uma coisa: independentemente de seu negócio, as calls to action são importantes pra você.

Se você quer saber o que são as calls to action, por que elas são importantes e como fazer uma CTA irresistível, você veio ao lugar certo. Hoje aqui no blog vamos falar só sobre esse item super importante da sua estratégia de marketing.

Vamos lá?

 

Afinal, o que é uma call to action?

Como o próprio nome diz, a call to action é uma chamada para ação. O objetivo dela é fazer com que a pessoa que está lendo o seu conteúdo, visitando a sua página, tome uma atitude.

  • Em um e-commerce, pode ser um “aproveite agora” em um banner mostrando uma oferta.
  • Em um site de um restaurante, pode ser um “faça sua reserva” para uma data especial.
  • Para uma empresa de consultoria, pode ser um “converse com um de nossos especialistas”.

Por isso que eu digo: independentemente do seu negócio, você precisa pensar nas suas calls to action. São elas que vão influenciar o seu visitante a ficar mais próximo de tomar a atitude que você deseja. Seja ela realizar uma compra, assinar uma newsletter, baixar um ebook, entre muitas outras ações.

Aqui, a gente trouxe um exemplo do site do Submarino.

 

cta exemplo submarino

 

O objetivo do banner é fazer com que as pessoas assinem o Submarino Prime e, por isso, a call to action escolhida foi “assine agora”.

No Moxchat, bem do ladinho do texto que você está lendo agora, também temos uma CTA.

 

cta exemplo blog

 

O que você deve saber sobre os botões call to action é que eles sempre falam como a pessoa deve interagir com aquilo que você está oferecendo. Qual o próximo passo que deve ser tomado pelo visitante?

Quando a gente fala de inbound marketing, de funil de vendas e jornada de compra do cliente, cada CTA vai levando o seu cliente para mais fundo do funil, encaminhando para a próxima fase da jornada do cliente.

Por isso existem tantos exemplos de call to action – porque pra cada ação a ser tomada pode haver uma call to action. Existe um caminho a ser percorrido. No seu site, blog, landing page, e-mails… Todos esses canais podem conter uma CTA com uma ação que leva o seu cliente para o próximo passo.

 

Como fazer uma call to action?

Quais são as melhores práticas pra fazer uma CTA irresistível?

Honestamente, não há fórmula mágica e chegar a um resultado eficaz depende de muitos testes. Não existe jeito de fazer uma call to action e, de primeira, ela já ser perfeita. O que existe é fazer uma call to action, realizar testes e verificar o que funciona melhor pra você.

No entanto, existem sim algumas coisas que você pode fazer pra que sua primeira call to action já esteja mais próxima do sucesso.

  • Chame atenção (design)
  • Use verbos de ação (texto)
  • Onde está sua CTA no conteúdo? (localização)

Vamos a elas?

 

A primeira coisa que você deve pensar é que a call to action sempre precisa se destacar no meio de sua página, no meio de seu texto. Isso significa que você precisa investir no design.

Para chamar atenção, você precisa pensar em qual o tamanho da sua CTA, quais cores contrastantes você vai usar para que ela se destaque. A fonte utilizada vai ser normal, em negrito, com todas as letras maiúsculas?

Todas essas decisões influenciam o sucesso da sua CTA.

Em geral, recomenda-se usar cores fortes que se destacam no meio do texto. Se sua marca já utiliza algumas cores em outros tipos de conteúdos, você pode aproveitá-las e reforçar seu branding – desde que esse uso ainda assim cause contraste e dê destaque para a sua call to action.

O tamanho, é claro, depende de onde você está inserindo a sua call to action. Você quer sim chamar atenção, mas ela não deve ser desproporcional.

Normalmente as CTA estão acompanhadas de outro tipo de conteúdo e a sua função é complementá-lo com uma chamada para ação, não apagá-lo completamente com um botão gigantesco.

E o texto? Como eu escolho as melhores palavras pra compor minha CTA?

Todas as calls to action devem orientar para alguma ação, o que significa que seus visitantes não devem pensar muito sobre o que fazer em seguida – a CTA precisa explicitamente lhes dizer o que fazer.

Exatamente por isso que se orienta a usar verbos de ação no imperativo, como por exemplo:

  • Compre
  • Baixe
  • Assine
  • Registre-se
  • Comece
  • Leia

Mas isso não significa que só eles vão funcionar! As calls to action são formadas por um conjunto de itens e só um “Compre agora” com o design e a localização errada podem não te ajudar. Assim como um “comprar”, que não tem verbo no imperativo, pode ainda assim funcionar pra você.

Uma dica que funciona muito bem é sempre incluir o benefício da oferta oferecida na CTA, o valor que ela tem. Tanto no texto do conteúdo que a acompanha quanto no botão em si. Pense: qual o benefício que fará o cliente clicar nesta call to action?

Usar palavras de urgência também funciona: ao invés de “compre”, que tal um “compre agora”?

O que você deve manter em mente é a sua buyer persona. Pense em que estágio da jornada do cliente a pessoa que vai entrar em contato com aquele conteúdo está. O que ela valoriza nessa fase? O que ela precisa? Quais são as suas palavras-chave?

Orientando o texto de sua call to action para a ação e, principalmente, para ação relacionada ao estágio da jornada do cliente, você estará muito mais perto do sucesso.

E onde eu vou colocar minha CTA?

Em geral, vários exemplos de CTA em sites, postagens em blog e e-mails estão localizados ao final do conteúdo, mas nada impede que você teste outros locais!

Pra se inspirar, que tal procurar em seus concorrentes e em negócios de sucesso? Como eles estão usando as suas calls to action? Isso pode te dar algumas ideias diferentes que podem funcionar muito bem.

 

5 exemplos de call to action para e-commerce

Tudo isso que a gente falou até agora foi basicamente teoria. Mas e na prática, como as calls to action aparecem?

Separamos alguns exemplos de três e-commerces pra você ver que, realmente, estratégias diferentes funcionam para empresas diferentes.

Entrei nos e-commerces da Nike, Dafiti e The Beauty Box. O que a tem por lá?

Vamos ver.

 

Botão de compra

Estes são os três botões de compra e onde eles aparecem.

 

cta botao de compra

cta botao de compra

cta botao de compra

 

O que a gente pode analisar sobre essas calls to action, suas cores e sua localização?

Em geral, os botões de compra (e não só nesses exemplos, mas todos) ficam do lado direito, abaixo do nome e das informações básicas do produto.

Mas por quê? Isso não acontece por acaso, mas porque foram feitos estudos sobre como as pessoas visualizam páginas na internet.

A forma como as pessoas passam o olho nas páginas normalmente segue o formato de F ou Z – ou seja: da esquerda para a direita, de cima para baixo.

Agora faz sentido as CTA estarem localizadas sempre do canto inferior direito, certo? Veja como as calls to action aparecem sim no canto inferior, mas antes da página ser “cortada” pelo tamanho do navegador – isso é muito importante!

Analise agora as páginas e os botões. O que há em comum entre eles? O contraste, é claro! Passando o olho rapidamente, o botão de compra imediatamente “salta” da página por ser preenchido por uma cor que de destaca do restante do conteúdo.

Falando sobre o texto, perceba como todos eles usam o verbo “comprar” – que não está no imperativo. Talvez “compre” fiquei muito direto? Talvez “comprar” seja um pouco menos mandão?

Vale a pena fazer testes pra ver o que funciona melhor. Aqui temos um exemplo de três lojas que preferiram não usar um verbo no imperativo em seus botões de compra, mas que utilizaram em outras situações – como vamos ver mais adiante.

 

Banner

cta exemplo banner

 

No exemplo da Nike, os banners e calls to action mostram as opções para “ver coleção” (sem verbo no imperativo) e “avise-me” (com verbo no imperativo) para receber informações de quando as novas versões do tênis estarão disponíveis.

Perceba como nos dois casos o tamanho dos botões é relativamente pequeno. É aquilo que a gente falou ali em cima: o botão é complementar ao conteúdo exposto junto com ele e não algo que vai se sobrepor completamente.

 

cta exemplo banner

 

Na Dafiti, temos banners com calls to action que dividem departamentos logo quando você acessa o e-commerce. Um outro exemplo de como as CTA podem ser usadas!

Apesar de não terem verbos de ação, veja como o tamanho dos botões é ideal para o tamanho do banner e há o contraste entre a foto e o botão – é confortável de visualizar e você não faz esforço pra entender.

Para o caso dos botões “feminino” e “masculino”, em que há menos contraste num primeiro momento, vale apontar aqui que ao passar o mouse por cima do botão, ele imediatamente fica com o seu fundo branco.

 

cta exemplo hover

 

Alterar a função hover (quando o mouse passa por cima) do seu botão é outra forma de alterar a sua CTA e mais uma opção de teste para fazer. Vai que funciona melhor pra você?

 

cta exemplo banner

 

Já no exemplo da The Beauty Box temos claramente um banner promocional. É interessante como o texto do botão diz apenas “eu quero” e como ele é relativamente menor do que o texto principal do banner sobre o desconto.

Mesmo sendo diferente dos outros e, de algumas formas, indo contra a teoria que falamos anteriormente, pode ser que este formato esteja dando muito resultado para a loja. É o que a gente já falou e repetiu: o importante é testar. Não é só porque é algum tipo de “regra” que vai funcionar melhor pra você. Só testando é que podemos ter certeza.

Veja como temos situações distintas. Isso é só pra demonstrar como as calls to action são diversificadas e estão em todos os lugares!

 

Assinar newsletter

Tá aí uma das coisas mais importantes que você deve pensar no seu e-commerce: o botão para se inscrever na sua newsletter.

Isso porque mesmo que alguém não faça uma compra imediatamente, ele ainda pode estar disposto a abrir as portas de seu e-mail para que você o fisgue mais tarde.

Vamos ver como os e-commerces que estamos estudando utilizaram a CTA para assinar a newsletter?

 

cta exemplo newsletter

 

Veja como aqui ficam claros os verbos de ação – temos “cadastre-se” tanto no texto quando no botão em si!

É importante também observar como a gente vê o benefício desta “oferta”, que foi algo que falamos lá em cima, nas estratégias. Se eu der o meu e-mail, o que ganho em troca?

Aqui, a marca focou em dar como benefício ser o primeiro a saber sobre lançamentos, ofertas e novidades.

Resumindo: temos contraste? Sim. Temos verbos de ação? Sim. Temos benefício? Sim. A receita para uma CTA de sucesso.

 

cta exemplo newsletter

 

Já a Dafiti optou por um benefício diferente: R$ 10 de desconto na primeira compra. Não deixa de ser uma vantagem para conseguir o e-mail do cliente, certo?

Além disso, não podemos deixar de falar dos botões “feminino” e “masculino”. Aqui eles não apenas servem para que a pessoa efetivamente se inscreva na newsletter da marca, mas também como segmentação no momento de enviar os e-mails.

Se você quiser saber mais sobre a segmentação no e-mail marketing, não deixe de ler nosso post E-mail marketing: você deveria estar investindo nisso.

 

cta exemplo newsletter

 

Olha só o benefício que a The Beauty Box oferece: novidades e promoções em primeira mão.

Apesar de ter grande contraste, “enviar” não está no imperativo. Como sei se “enviar” é melhor do que “inscreva-se” ou “cadastre-se” da Nike? Vamos repetir: testes.

 

E-mail marketing

Me inscrevi na newsletter dos e-commerces só pra ver como eles usam as CTA dentro dos e-mails. Vamos dar uma olhadinha.

 

cta email marketing

 

Mais uma vez uma call to action bem clássica. Temos um super contraste entre as cores – utilizando as cores da Seleção Brasileira –, o benefício da oferta (ser um dos primeiros a vestir a nova camisa) e um botão que indica a próxima ação a ser feita pelo cliente: “ver coleção”.

 

cta email marketing

 

Esse é quaaaase um e-mail de recuperação de carrinho. Não cheguei a colocar os artigos dentro do carrinho de compras, mas a gente sabe que hoje em dia isso não é mais necessário, né? O site sabe que páginas eu visitei e me envia um e-mail exatamente com aquelas ofertas.

Gostei dessa CTA e trago como exemplo porque além de ter contraste na cor, chamar a atenção e tudo o que as outras calls to action também mostraram, ela foi (coincidentemente) a única que usou o “agora” para gerar uma urgência.

 

cta email marketing

 

Assim como a gente viu no exemplo de banner da The Beauty Box, aqui a gente também tem uma CTA que diz apenas “eu quero” e outra “quero assinar”.

Além das CTA que encaminham para um produto ou departamento, que é super comum em newsletters de e-commerces, aqui a gente vê também outras formas de usar as calls to action dentro do e-mail marketing.

 

Pedir comentário

Os comentários de outros clientes na página do produto são essenciais para a finalização de vendas – isso porque o ser humano tem a “tendência de seguir tendências”. Isso se chama Prova Social e já falamos um montão sobre isso no post 6 técnicas marketeiras pra usar no chat.

Resumindo: se há alguém nos comentários falando que gostou do produto, que é de qualidade, que era exatamente o que a pessoa imaginava, esse é o empurrãozinho extra que o cliente que está acessando precisa para que também efetue a compra. É como se fosse uma garantia de que ele não vai se arrepender de comprar.

E como os nossos e-commerces utilizaram as CTA para pedir comentários?

 

cta pedir comentario

 

A Nike foi direto ao ponto: utilizou a mesma cor chamativa do botão de compra – um laranja poderoso – e ainda utilizou o verbo no imperativo “faça uma avaliação”.

Mais claro do que isso impossível!

 

cta pedir avaliacao

 

Já a Dafiti resolveu pedir a avaliação dos clientes de uma forma um pouco mais sutil, mas ainda assim com verbos fortes de ação. “Seja o primeiro a avaliar” é um convite mais elegante e pode ser uma opção muito efetiva para o seu e-commerce.

 

cta pedir avaliacao

 

A The Beauty Box faz uma pergunta como uma amiga faria – o que tem tudo a ver com a marca, não é mesmo?

“Quer avaliar este produto?” é uma pergunta muito mais pessoal e pede um depoimento do cliente assim como uma pessoa que te conhece pediria.

Isso é só pra mostrar como você deve também levar em conta a personalidade de sua marca na hora de pensar em suas calls to action. Às vezes, algo mais simpático e fora da reta das “regras” que falamos anteriormente pode funcionar muito bem para o seu e-commerce!

 

Testando diferentes calls to action

A gente falou, repetiu e repetiu de novo: você precisa fazer testes para saber qual CTA funciona melhor para o seu e-commerce.

Mas como faço esses testes?

O que os especialistas recomendam é que você faça as mudanças uma de cada vez. Isso porque se você fizer diversas mudanças juntas e o resultado da CTA piorar ou melhorar, você não tem como saber qual delas foi crucial para que essa mudança acontecesse.

E pior: como você não consegue saber se foi a cor, tamanho, localização que alterou o resultado, não cria conhecimento com os seus testes.

Criar conhecimento significa que se você alterou apenas a cor e houve um resultado negativo, você já sabe que aquela cor não funciona bem para aquela função, para o seu site ou para a sua maca.

Ou seja: você entende e aprende que aquela cor não funciona pra você. E pode utilizar esse conhecimento para seus testes e calls to action futuramente.

 

Medindo a eficiência de sua call to action

Como vou saber se o resultado da minha call to action é bom ou ruim?

Em geral, um CTR (click through rate) de 1% a 2% é um resultado bom.

No entanto, deixamos aqui o nosso aviso de amigo. Veja sempre o que é considerado um bom resultado para a área em que você atua. Procure um benchmark para se basear 🙂 Alguns tipos de negócios podem ter um CRT maior ou menor, lembre-se disso.

E tem mais: não é só porque um CTA de 2% é bom que você não deve buscar resultados ainda melhores. Continue testando!

 

Agora é com você

E aí, já teve algumas ideias de como você pode modificar suas calls to action pra melhorar seus resultados?

Já fez algum teste e viu que aquilo que está na “regra” não funciona pra você?

Vamos conversar nos comentários abaixo! 🙂