A gente só ouve falar de Inbound Marketing, Inbound Marketing, Inbound Marketing e muitas pessoas, nessa onda, acabam pensando que o Outbound Marketing está morto, que é o passado e que não se deve mais prestar atenção nisso.

Mas será que ele acabou mesmo?

No blog post de hoje vamos falar sobre as principais diferenças entre o Inbound e o Outbound Marketing e como você pode escolher investir o seu dinheiro naquilo que te interessa e vai funcionar para o seu público. Inclusive, mesclando as duas estratégias.

Pronto? Então vamos lá.

 

O que é Inbound Marketing?

A base do Inbound Marketing é muito simples: foco no cliente.

O que é útil para o cliente? O que ele precisa? Quais perguntas ele está fazendo? Quais problemas de sua vida minha empresa consegue resolver?

Basicamente, oferecendo a resposta para todas essas perguntas (o conteúdo de qualidade que você produz), você atrai o seu cliente para a sua empresa – que é justamente o objetivo do Inbound Marketing.

Ou seja: você não está efetivamente indo atrás dele, mas ele está vindo atrás de você quando precisa, quando tem um problema que sua empresa consegue resolver com um serviço ou produto.

Isso significa que a comunicação é menos direta – ela não interrompe quando o cliente não quer, como quando há uma propaganda na TV no meio do filme. Ela está disponível sempre na internet pra ser consumida pelo consumidor quando ele quiser.

Justamente por contar com a internet para que essa mensagem fique disponível, é muito fácil ver que o Inbound Marketing também tem como principal característica uma comunicação que não é só da empresa para o cliente.

O que acontece é um diálogo entre a empresa e o cliente. Há mais interação – e os clientes exigem isso. É como a gente sempre diz aqui no blog: os clientes é que dão as cartas do jogo.

Entre as estratégias utilizadas no Inbound Marketing, a gente pode citar:

Todas essas estratégias – que a gente já viu aqui no blog – servem exatamente para conhecer melhor quem é o seu cliente (criação de marketing ou buyer personas), como acontece o processo de compra dele (jornada do cliente) e saber como atraí-lo para cada vez mais perto da sua empresa até a venda (funil de vendas).

E que tipo de conteúdo de qualidade vale para o Inbound Marketing? Bom, estamos falando de:

  • Blogs, como este aqui que você está lendo 🙂
  • Ebooks
  • Webinars
  • Redes sociais
  • Landing pages
  • Guias
  • Estudos de caso
  • Email marketing
  • Otimização do site para pesquisas (SEO)

Vamos a um exemplo da vida real. Suponhamos que você tenha uma loja física e online de roupas. De que tipo de conteúdo estamos falando?

Bom, você pode ter uma presença nas redes sociais – onde faz um trabalho de reconhecimento de marca, divulga algumas promoções, compartilha fotos de clientes e presta suporte.

Você também pode ter um blog, onde dá dicas de moda, o que está sendo usado pelo Brasil e pelo mundo. Pode publicar também notícias sobre o que está acontecendo nas semanas de moda de Paris, Londres e São Paulo, por exemplo.

Que tal também trabalhar com o e-mail marketing para enviar promos, suas postagens no blog, notícias e e-mails de abandono de carrinho?

Além disso, trabalhar muito bem o SEO de seu site e blog pode trazer resultados muito significativos!

E olha lá, hein! Isso é só o básico 🙂

 

O que é Outbound Marketing?

O Outbound Marketing, ou marketing tradicional, tem outro foco. O objetivo é vender produtos ou serviços indo ativamente atrás do cliente.

É aquilo que a gente conhece desde criancinha, quando a propaganda interrompia o desenho e a gente ficava um pouco impaciente e irritado.

Ou seja, tradicionalmente, o Outbound Marketing é marcado principalmente por se basear em uma comunicação mais intrusiva, mais direta. É o modelo um–todos: uma única empresa falando para uma massa de possíveis clientes.

Mas se engana quem acha que o Outbound não está presente no meio digital também. O que dizer daquela propaganda de 30 segundos que não pode ser pulada no YouTube? Ou da popup que interrompe a leitura de uma notícia?

Outro erro é achar que o Outbound Marketing está limitado a empresas “antigas” ou “antiquadas”, ou até mesmo apenas as que têm muito dinheiro.

Isso porque Outbound Marketing não é só propaganda na TV, outdoor, telemarketing e anúncios em jornais e revistas. Não é só investimentos na casa dos milhares e milhões.

Outbound também é:

  • Um spot numa rádio local
  • Panfletagem
  • Facebook Ads
  • Google AdWords

O que se vê hoje é que as pessoas estão mais resistentes às técnicas de Outbound Marketing, principalmente as mais antigas. Ninguém quer ter seu filme interrompido por propagandas. Ninguém quer receber uma ligação de telemarketing em casa.

Por isso é necessário renovar e inovar. Graças às tecnologias atuais, eu posso fazer uma propaganda para ser veiculada no YouTube, mas eu não vou pagar para que todo mundo veja.

Eu vou segmentar, vou escolher que tipo de público eu quero que veja aquilo – o que pode melhorar e muito os resultados da minha campanha. Posso “pedir” para que o YouTube passe aquela propaganda apenas para homens de 18 a 24 com interesses X, Y e Z.

Essa mesma segmentação pode ser feita também no Facebook, por exemplo. Você consegue escolher entre uma série de características, desde a localização das pessoas até a curtida em uma página específica.

O Outbound Marketing não parece estar morto, né?

Voltando ao nosso exemplo da loja de roupas, o que poderia ser feito em termos Outbound Marketing?

Se você gostaria de focar a sua publicidade no seu entorno, localmente, pode valer a pena investir em um spot de uma rádio local, um anúncio na revista ou jornal do bairro.

Melhor ainda seria usar a segmentação para isso. Será que não há alguma revista em sua cidade que foca em moda e estilo de vida? Há probabilidade de sua persona fazer parte do público alvo dessa revista.

Outra opção seria imprimir flyers com algum tipo de cupom de desconto para a primeira visita em sua loja – assim, pessoas que podem estar passando muito próximo de sua loja, mas que por acaso nunca perceberam que ela estava ali, ficam cientes da existência dela.

Pense bem: esse flyer pode informar que o cupom de desconto também é válido para compras no e-commerce, o que pode dar um resultado bem legal de tráfego! O cupom é uma alternativa interessante porque você pode usar o código para identificar que ele veio exatamente do flyer que distribuiu.

Além disso, você também poderia usar mídia paga para levar novos clientes para o seu estabelecimento – seja ele o online ou offline.

 

Resumindo…

inbound outbound comparacao

 

Esclarecendo a questão do investimento

Não é difícil você ouvir alguém falando que o Inbound Marketing é uma estratégia mais barata do que o Outbound Marketing.

Na verdade, não é bem assim. Até porque você pode muito bem gastar o valor de um outdoor ou uma propaganda de TV em uma campanha digital. Lugar pra investir o dinheiro no Inbound é o que não falta.

Assim como você pode ter um orçamento pequeno para Inbound Marketing e investir exatamente a mesma quantidade de dinheiro na impressão de flyers.

A diferença (e grande vantagem) é que com o Inbound você consegue ver exatamente os frutos dos seus esforços, o que nem sempre é possível com o Outbound. Cada click, download de ebook, inscrição em newsletter – tudo é mensurável.

Mas como é que você vai mensurar se as pessoas que receberam o seu flyer na rua realmente viraram clientes? Difícil, né?

O ROI (retorno de investimento) também é um pouco diferente, já que o ROI para estratégias de Outbound Marketing é muito mais veloz. O resultado chega rápido, mas também pode ir embora rápido caso você não mantenha seus investimentos. Você vai ter apenas um pico no seu ROI.

O mesmo não acontece com o Inbound. O retorno pode exigir mais paciência e os resultados não são imediatos, mas seu conteúdo fica sempre disponível na internet e pode ser acessado por um possível cliente a todo o momento. No mundo ideal, você teria um crescimento constante e saudável no seu ROI.

 

Como posso escolher o que é melhor pra mim?

Se você vai escolher entre Inbound, Outbound, mesclar os dois, não importa. Você tem que ter apenas duas coisas em mente: sua persona e o dinheiro que você tem disponível pra investir.

Será que a sua persona aceitaria receber flyers com alguma promoção na rua? Será que ela se interessaria mais um post promocional pago no Facebook? Será que ela não ia querer saber como tirar maior vantagem do seu produto com um ebook?

Mesmo sendo algo utilizado pelo Inbound Marketing, a buyer ou marketing persona pode sim guiar suas ações Outbound. Além de se perguntar, primeiramente, se aquela persona está aberta a receber esse tipo de oferta ou comunicação.

Nem todo mundo está disposto a receber um flyer, assim como nem todo mundo está disposto a baixar um ebook.

O importante é não excluir uma opção ou outra imediatamente, sem fazer a devida pesquisa. Sem testar pelo menos uma vez. Existem várias maneiras de mesclar técnicas offline e online, mesmo que o seu negócio seja apenas online ou apenas offline.

 

Agora é com você

E aí, já está pensando em quais estratégias usar no seu negócio?

Não se esqueça que a utilização de técnicas Inbound ou Outbound não exclui a outra!

E você, usa só o Inbound? Só o Outbound? Qual a sua experiência com essas técnicas? Compartilha com a gente nos comentários 🙂